1968: O Ano Que Não Terminou

Considerado um dos maiores cl ssicos da literatura contempor nea brasileira, 1968 O ano que n o terminou um retrato fiel de todos os acontecimentos que fizeram do ano de 1968 um divisor de guas na hist ria brasileira e mundial Al m de ser uma pe a de excelente jornalismo, um exemplo de texto brilhante, 1968 O ano que n o terminou presta relevante servi o revitaliConsiderado um dos maiores cl ssicos da literatura contempor nea brasileira, 1968 O ano que n o terminou um retrato fiel de todos os acontecimentos que fizeram do ano de 1968 um divisor de guas na hist ria brasileira e mundial Al m de ser uma pe a de excelente jornalismo, um exemplo de texto brilhante, 1968 O ano que n o terminou presta relevante servi o revitaliza o da consci ncia democr tica brasileira.
O Ano Que N o Terminou Considerado um dos maiores cl ssicos da literatura contempor nea brasileira O ano que n o terminou um retrato fiel de todos os acontecimentos que fizeram do ano de um divisor de guas na his

  • Title: 1968: O Ano Que Não Terminou
  • Author: Zuenir Ventura
  • ISBN: 8520901182
  • Page: 250
  • Format: Paperback
  • 1 thought on “1968: O Ano Que Não Terminou”

    1. A primeira parte é muito chata, muito lenta, mas as segunda, terceira e quarta partes me surpreenderam. No início eu tava quase desistindo por ser muito arrastado, mas felizmente prossegui e me surpreendi positivamente.Uma descrição histórica muito boa sobre esse ano tão importante pra história do Brasil.

    2. Um olhar cultural sobre os acontecimentos de 1968. Escrito de forma muito talentosa, vale a pena!

    3. "Há soldados armados, amados ou não. Quase todos perdidos de armas na mão. Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição: De morrer pela pátria e viver sem razão Nas escolas, nas ruas, campos, construções, somos todos soldados armados ou não. Caminhando e cantando e seguindo a canção. Somos todos iguais braços dados ou não"

    4. Classifiquei com base no esquema do (2 estrelas --> foi legal), mas nada extraordinário que tenha mudado minha vida.O começo do livro achei interessante, com o relato dos festivais, e das manifestações iniciais do ano. Mas após a passeata dos 100 mil o livro ficou monótono pra mim, com uma sequencia de eventos soltos, e uma descrição que passou a me parecer cada vez mais enaltecedora e distante da realidade. Não que não acredite nos eventos que se passaram, mas que a forma que o es [...]

    5. Zuenir tem um tipo de narrativa agradável, bem humorada, 1968 trata de um tempo em que não tinhamos democracia aqui no Brasil, o livro é excelente, um deleite!

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *